do outro lado do oceano

por Marcia Dantas

Meus dedos estavam ansiosos no teclado do celular, como se tivessem pressa. Eu tinha pressa. Precisava deixar todas aquelas palavras ali, na mensagem destinada a você, e que seus olhos pudessem lê-la e entender.

Confiava essa mensagem aos seus olhos e somente aos seus.

Estamos distantes, mas sua presença me ajuda todos os dias. Ler suas mensagens quase diárias são como a voz que preciso ouvir nos momentos certos, fazendo com que eu tenha a coragem de continuar. Às vezes é tão difícil estar aqui sozinha e você consegue diminuir a solidão em todos os momentos.

Hoje foi um daqueles dias que eu só queria fugir para longe, desistir de tudo e voltar para casa. Desejei demais estar perto de você e ganhar seu abraço apertado e ouvir as palavras que sempre fazem com que eu me sinta melhor.

Sei que você diria para eu não desistir e só por isso não joguei tudo para o alto de uma vez.

Meus dedos estavam ansiosos, mas não para contar todos os problemas que me atormentaram, e sim para dizer que estou aqui, do outro lado do oceano, enfrentando tudo, como você sempre me ensinou. Sua força não me abandona e graças a você, mãe, que estou aqui.

Espero que leia logo essa mensagem e entenda o quão importante é para mim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *