nistagmo neorecôndito

por David Plassa

No sonho éramos perseguidos
Você sem entender
Eu querendo ficar a sós contigo
Uma festa continuava noite adentro
Entrávamos e saíamos por salas e salas
Eles ainda tentavam nos impedir
Eram muitos, eram todos
Que nos conheciam
Eu esperando o melhor momento
Tentando abrir alçapões para outros sonhos recentes
Num deles haveria um andar inteiro abandonado por onde passei noites atrás
Ali eu lhe pediria o mesmo beijo dado do lado de cá
Eu sabia que era um sonho
E já redigia àquela altura a mensagem que lhe encaminharia ao acordar:
— Hoje sonhei com você. Está tudo bem?
E que você não respondesse
Apenas para continuar a me visitar onde possamos nos perder juntos
Bem aqui dentro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *