terça-feira parte I — plantio

por Caê Jansen

Correndo e escondendo-se
Desviando da claridade
Esgueirou-se até a raiz
Suas mãos rasgavam a terra
Entre seus ásperos dedos, que incomodavam a maciez não antes pisada, encontrou
O fio agudo de uma dor latente
Virgem e imaculada terra fértil para o plantio
Em sua face suada, seus olhos incomodados com o salgar tentavam focalizar a correnteza rubra que ainda não sabia dizer de qual parte da mão escorria
De repente o chão ruiu em uma espiral de poeira e fumaça elevando seu corpo para um infinito vazio, completa ausência

Uma ideia sobre “terça-feira parte I — plantio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *