do silêncio a distância

por Marcia Dantas*

Foi o medo que me calou.
E meus lábios ficaram selados
como se pudessem silenciar para sempre.

Mas, no meu silêncio,
se fez a tristeza.
E, da tristeza,
a distância se impôs.

Mesmo que eu não dissesse,
lá estava você,
cada vez mais longe.

E senti o inverno,
que ocupava seu lugar.
Que trazia o frio,
que apagava nossa chama.

Antes que eu percebesse,
perdi as palavras.
E, mesmo que as tivesse,
você estava longe demais para ouvi-las.

Meu medo tudo paralisou,
e te afastou.
Nada pude fazer,
só calar de vez.

_____

*Marcia Dantas se orgulha de ser professora de História e escritora, duas áreas que a completam, realizam, desafiam e a fazem militar constantemente. Paulista de coração, não se vê morando em outro lugar, embora precise de um férias da metrópole no momento. Lançou há pouco o seu primeiro livro, Reescrevendo Sonhos, além de estar em vários outros projetos literários. Marcia escreve quinzenalmente aos sábados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *