estou completa

por Marcia Dantas*

Não sou meia pessoa: estou completa.

Meu corpo me pertence e meu desejo vem de mim e mais ninguém.

Meu coração tem sua própria sinfonia e toca uma música particular, ainda que incompreendida pelos ouvidos menos treinados. De qualquer forma é minha canção, aquela que fala alto de quem sou e de como me relaciono com o mundo e as pessoas ao meu redor.

Você não tem direito de me rotular.

Uma vez eu disse quem eu era. Abri meu coração e defini a verdade que guardava dentro de mim; tão guardada que eu mesma demorei muito para encontrar. E, quando consegui desenterrar o tesouro que até então não reconhecia, senti uma liberdade explodir dentro de mim, deixando que o entendimento me fizesse florescer. Meu amor é amplo e sem restrições. É assim que consigo mostrar meu afeto.

Você riu de minhas palavras e tentou tirar o crédito de minhas palavras. Como eu poderia amar as pessoas independente do gênero delas? Como eu me atrevia a tal coisa? Pode ter a certeza, não foi só você que me impôs essas questões como se elas fossem a chave do universo. Que exigiu que me adequasse, que entrasse nas formas impostas por uma ordem incompreensível, definida por quem afinal? Ninguém consegue responder.

Não é uma novidade que você finja que meu desejo é errado ou irreal. Que meu amor é estranho, fora do convencional e deveria ser repensado. Já ouvi explicações morais e religiosas, e nada me convenceu que estava errada. Nunca estive tão certa de mim mesma. Nunca tive tanta segurança do que sou. E nunca vou calar essa verdade, não importa o que façam.

Sofri as consequências do silêncio e sofri. Não fui eu mesma; era um ser enjaulado numa prisão interna. Demorei a entender que estava encarcerada. Porém, assim que achei minhas correntes, senti a urgência da liberdade.

É isso o que me move; ser livre.

Já me deixei ser orientada demais por coisas que não faziam sentido. Machuquei meu coração que agora ressoa em uma sintonia que me embala. Estou aqui, cabeça erguida, identidade exposta. Sou minha e sou inteira.

_____

*Marcia Dantas se orgulha de ser professora de História e escritora, duas áreas que a completam, realizam, desafiam e a fazem militar constantemente. Paulista de coração, não se vê morando em outro lugar, embora precise de um férias da metrópole no momento. Lançou há pouco o seu primeiro livro, Reescrevendo Sonhos, além de estar em vários outros projetos literários. Marcia escreve quinzenalmente aos sábados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *