extra!

por Caê Jansen*

EXTRA! EXTRA!
É proibido
O amor entre transeuntes
Que os passageiros saibam
Toda demonstração de carinho
Nesse transatlântico quase submerso
Traz consigo
Fraqueza, medo, inseguranças

Ainda lambendo as feridas
Que o passado cravou na carne
Ignorou os sinais
Que estava ao lado
E assim foi ignorando a si
Castigando o corpo
Com doses homeopáticas da pele
Quando o querer é mergulhar em sincronia
Deixar o corpo levar
Desligar a cabeça e apenas sentir

EXTRA!! EXTRA!!
É terminantemente proibido
Deixar de viver

_____

*Caê Jansen esteve sempre muito insatisfeito. Com seus empregos e limitações. Com o mundo. Busca controlar o ego e os pensamentos mais sombrios. Para isso, mergulhou de cabeça na escrita e na música. Tem na educação social sua ferramenta para tentar transformar o mundo. O coletivo lhe agrada, o psicodélico lhe atrai. Não tem formação, nem formatação. Ama arte. Caê escreve às terças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *