hold on

por Elle*

Segura o barulho
Dessa mente perturbada
Sai do escuro
Cai na realidade

A claridade chega
Feito um tapa na cara
E a sanidade
Por pouco não escapa

Vem me dar uma dose de veneno
Vem, e me dá uma dose de veneno
Veio e deu, uma dose de veneno

Um gesto pequeno
Desse amor escaleno
Um olhar sereno
Ah, se esse moreno
Gostasse de me gostar

Puxo como um trago
Vem doce como favo
Mais rápido e temporário
Vai e deixa o amargo

Então procuro por outro trago
Esse não é doce
Tampouco rude
Encho o peito
Expiro plenitude

Mais leve, pude, enxergar
Fazer a chave virar
Mudar os planos
E entender

Que só vem pra brincar
E deixar o ego encher
E que só vai passar
Quando eu me abster

Tipo alcoólatra com álcool
Chocólatra com chocolate
Tipo cocaína, heroína, cafeína
Você é um vicio, estrupício
Saiu e me deixou à beira do precipício

Então, mesmo que o desejo
De permanecer seja obsceno
A veracidade do lampejo, me obriga
Me vou moreno.

_____

A vida chegou sem massagem.
Tudo que *Elle quer é embarcar em mais uma viagem.
Da cabeça desgraçada tenta tirar seu rumo.
Tem larica de arte.
Elle escreve quinzenalmente às quartas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *