apenas no silêncio

por Marcia Dantas

Eu não me arrependia de deixar meu coração bater mais forte por causa do sorriso dela.

Houve um tempo em que eu me negava em acreditar nos sinais claros do meu coração. Disfarçava, olhava para o outro lado e emudecia aquela voz. Desviava do que estava ali diante de mim. Era medo de perdê-la? Covardia? Nunca soube para falar a verdade.
Mas hoje já não nego mais.

Não me escondia dos momentos em que ela colocava um sorriso nos meus lábios quando aparecia, tornando tudo mais brilhante. Também não disfarçava o brilho em meus olhos que ela fazia surgir ou mesmo o modo com que tudo desaparecia quando ela estava tão próxima de mim.

O controle era uma ilusão da qual me livrei quando percebi que estava apaixonada.

Já não vivo nesse mundo colorido, onde todas as coisas parecem como nos filmes, feitas para dar certo, não importando as barreiras. A vida real é diferente e mostrou sua dureza. Era algo sobre a verdade que fazia sombra sobre os meus sentimentos: jamais seria correspondida por ela.

Nossas formas de amar são diferentes e, por mais que ela entenda como funciona meu coração, jamais poderá sentir do mesmo jeito.

Sei que posso apenas caminhar ao lado dela, sem nunca segurar sua mão. Mesmo assim, não posso deixar de amar assim, ou parar meu coração de bater por ela. Nem sei se quero, afinal, nada é tão ruim que possa se comparar ao que a ausência dela me fará.
Então sigo amando, ainda que apenas no silêncio.

uma volta a mais no mundo

por Marcia Dantas

O mundo girou,
a vida passou,
mas algumas coisas são as mesmas.

As pessoas ainda odeiam mais que amam,
agridem mais que acariciam,
temem mais que confiam. .

E seguimos temendo as coisas ao nosso redor,
como se nada mudasse.
Como se estivéssemos condenados
a voltar sempre ao mesmo lugar.

Seria a evolução
apenas uma ilusão?

A história nos ensina
que a humanidade repete os padrões.
Comete aqueles erros de sempre,
machucam da velha forma dos outros tempos.

Deixamos de debater,
passamos a combater.
Reproduzimos o ódio
e deixamos que os corações se contaminem.

Mas ainda há aquela esperança,
uma pequena luz que,
ainda que tímida, consegue brilhar.

São aquelas novas gerações.
Olhos novos e mentes renovadas.
Corações abertos e novas chances ao mundo.

Então o mundo vai girar novamente,
a vida passará
e algumas coisas poderão mudar.

madrugada

por Marcia Dantas

Observo a noite
que cobre e domina o céu
com seu véu escuro e reconfortante.

E sinto a tranquilidade que me domina
com o silêncio que se multiplica
como se pudesse me abraçar.

Quero me segurar a esse véu
e encontrar a paz que procuro.
Pois é na madrugada
que posso descansar

lâmina

por Marcia Dantas

As palavras podem ser como lâminas:
cortantes e profundas,
cortando em cheio o coração
de quem as lê.

São pequenos ajuntamentos de letras
que parecem inofensivas.
Mas, quando colocadas juntas,
são capazes de despertar diversas sensações.

Gosto do prazer de vê-las se encontrar
enquanto as escrevo no papel.
Amo sentir a atração entre elas
e como se encaixam perfeitamente entre si.

Então olhe essas palavras todas juntas
e sinta o poder sobre quem as lê.
Entregue-se, não hesite.
Pois elas podem te atingir em cheio.

das ruínas que você deixou

por Marcia Dantas

Queria poder dizer que a aceito de volta em minha vida. Mas não posso, quando foi por sua causa que me vi em meio às ruínas que me cercaram e quase me engoliram por completo.

Você não olhou para trás daquela vez. Não se importou. Sequer hesitou; apenas partiu, deixando-me destruída, abandonada, sem saber o que fazer. Vi apenas a poeira que subiu dos seus passos apressados, e então soube que cairia num abismo profundo, que me tragaria sem misericórdia. Temi, sofri e nunca pude pedir socorro. Você era a única em quem confiava para me salvar desse lugar tão assustador onde fiquei. Mas já não a tinha por perto, então o que faria?

Tive que encarar a verdade de que dependia apenas das minhas forças. Precisava que meus pés aguentassem o peso de meu corpo, sustentassem meu levantar e guiassem os passos que precisava dar para longe daquelas ruínas que desejavam me prender naquele abismo.

E você nunca soube onde me deixou.

Muitas vezes pensei em você e tentei imaginar por onde andaria. Mas, principalmente, tentava adivinhar se alguns de seus pensamentos eram para mim. Em certos momentos não tinha dúvidas que sim, que eu estava em sua mente e que, mesmo a crueldade da sua partida não tinha destruído aqueles sentimentos que você dizia ter por mim. Em outras ocasiões apenas percebi que você nunca poderia ter me amado de verdade. Afinal, como você poderia me deixar daquela forma, sem sentir remorso algum?

Foi nesse momento em que percebi que talvez eu tivesse superestimado meus próprios sentimentos.

Não posso negar, você foi importante demais em minha vida e povoou meus pensamentos muito tempo depois de ter partido. E, agora que nos reencontramos, não consigo ignorar que ainda tem uma parte de mim que não consegue ser indiferente à sua presença ou ao modo que ainda olha para mim, mesmo depois de todo esse tempo. Mas não é a mesma coisa, não mais. Algo se desfez naquele dia, quando a vi partir tão rápido, me deixando para trás.

Você se desfez dentro de mim e tudo o que sobrou foi o modo com que recomecei depois que me vi nas ruínas sem você.

Não, por favor, não ouse dizer que se arrependeu de ir embora e me deixar para trás. Suas palavras já não me tocam, suas mentiras já não me convencem mais. Uma parte de mim queria acreditar, confesso, e retomar algo que ficou perdido lá atrás, no meio das ruínas, e que nunca consegui recuperar. Mas passou, foi embora, e já não vejo como recuperar o que havia entre nós.

Saiba que consegui me recuperar e que fico feliz em poder mostrar a você o que consegui. Fiquei mais forte e já não me deixo mais cair naquele abismo que abandonei. Estou bem e continuarei assim, tenho certeza. Só não posso permitir que entre em meu coração uma vez mais.

Apenas parta, por favor. Deixe apenas a poeira de seus pés. E seja feliz, pois eu também serei.