inspirar

por Caê Jansen

A cada despertar,
ao abrir os olhos,
procuro me inspirar.
Diariamente abro a mente
para novas informações,
escancaro meu coração
para novos amores,
vivo cada dia como o último
pois não quero me arrepender
quando ela chegar e me levar.
Por isso busco a inspiração
a todo instante,
nos pequenos detalhes
dessa vida simplista
procuro ser meu protagonista
e ter a liberdade de pensar por mim.
Por isso vou me inspirar
na transpiração e batimento acelerado,
no medo e na insegurança,
na euforia de um novo amor,
na tristeza de mais um fim…
Que na verdade é só mais um recomeço.
Se não for para me inspirar
prefiro não acordar
cansei da vida monótona
quero ver e viver o hoje
inspirar e encantar,
se eu acordei mais um dia
foi para me aventurar.
Então olho para fora de mim
buscando o desconhecido
corro em direção à vida
sempre com a certeza
viver é uma arte e cada dia é uma poesia,
cada passo dessa caminhada
é um passo da dança mais linda,
cada som que escuto ao fundo
compõe a música descompassada
que é o meu viver.
Por isso:
respiro, logo me inspiro.

medo

por Caê Jansen

Quantas foram as vezes na vida que a deixamos de viver por medo? Perdemos oportunidades, deixamos de lado sentimentos, enquanto só conseguimos temer, e temendo deixamos de viver.

Tememos a morte, solidão, relacionamentos, o escuro. Chegamos ao ponto de temermos o amor. Enquanto escrevo essa curta crônica, muitas pessoas temem sair de casa por medo de um assalto. Outras não ligam para seus amados por medo de se machucar ou ouvir um não.

E assim caminhamos, um exército de acovardados em direção ao paredão de fuzilamento. Se continuarmos nesse ritmo, temendo tudo, nada mudará, nem nós e muito menos o mundo.

Lembre-se: o medo não te faz fraco, ele é um sentimento necessário para sobrevivência. Sem o medo nem nossos ancestrais teriam sobrevivido e nós não estaríamos aqui por consequência. O medo é essencial, mas temos que aprender que não devemos temer tudo. Não enfrentar nossos medos é o que nos torna fracos e nos extingue, ou você acha que nossos antepassados não enfrentaram seus medos para sobreviver?

Agora tente recordar tudo o que você já deixou de lado por medo. Aquele curso que era a sua cara mas você não fez porque teve medo do mercado de trabalho concorrido ou mal remunerado, aquela viajem que você deixou de fazer por medo de avião, ou aquele mochilão que nunca fez por medo de pedir carona. Quantos foram os beijos que não deu por medo de se aproximar de uma pessoa e conversar com ela, ou o grande amor que deixou de viver por medo de decepções.

A cada sonho, amor, aventura, paixão, que deixamos de viver por medo, uma parte de nós morre pois essas coisas mudariam seu eu para sempre. Logo você estaria morto. Afinal não é isso a morte, deixar de viver?

Portanto, ao invés de entregar-se ao medo, entregue-se à vida. Faça isso com sabedoria, tire lições de tudo, sempre respeite a si e aos outros, ajude todos que puder a superarem seus medos, mas entenda que não é porque você já venceu seus medos que os outros devem fazer com a mesma facilidade, que cada um tem seu tempo e respeitar esse tempo é essencial.

Nunca deixe de seguir seus sonhos por medo de fracassar, ou porque o caminho é muito duro e espinhento. Não se arriscar, não amar, não sorrir, não viver, isso sim é fracassar.

a porta

por Hugo Ribeiro

Tem uma porta deitada na minha frente

Já a abri antes

Agora ela é um quadro

Seu contorno é estranho

Dobrada e mofada, ela me encara

É só uma porta

Tem uma porta deitada na minha frente

Já a abri antes

Agora ela é um quadro

Seu contorno é estranho

Preciso carregá-la para fora

Mas ela já está enraizada de um jeito confortável que não me incomoda

Ela respira

Já foi imponente

Dobrada, ela me encara

É só uma porta

Tem uma porta aqui na minha frente

Estou cansado dela

ciclo de vida

por Marcia Dantas

Uma semente:
uma nova vida, um novo florescer embaixo da terra.

O que antes estava vazio
agora dá lugar a um novo suspiro,
uma renovada existência
e um novo ciclo de vida.

Basta que a semente caia na terra
sendo por ela abraçada
e recebendo das águas aquele primeiro impulso
para que ela comece a florescer.

E então a natureza se renova.

eu te disse

por Ana de Oliveira

Eu não queria falar isso.
Mas eu disse.
“Eu te disse”.
Deveria ter sido mais gentil.
Mais compreensiva
E sutil.
Pensado em todas as possibilidades.
E as adversidades
Do que viria a seguir.
Que seguiu-se.
Todavia você pensou.
E não despensou
Me dispensou.
Escuta, até haveria volta.
Se houvesse condição de sustentar um sim.
E quebrar o não.
Mas não fica assim.
E veja pelo lado bom
Existente em razoável tom
Sou mestra em sentir-me dessa forma
Triste e infeliz
Posso ajudar-te
A achar uma diretriz.
E não me entenda mal.
Isso é natural
Ser educada
E civilizada
Com quem já foi amada
Num romance habitual.

vai

por Caê Jansen

irei ouvir aquela menina
que se entrega aos amigos
tropeça em seus amores
se perde e amadurece
a duras penas cresce
ao mesmo tempo
sabia conselheira se mostra
e esse conselho vou levar
a energia que devo gastar
é pra mim e por mim
meus anseios mais internos
esses eu buscarei e alcançarei
criarei meu legado e o darei de presente
para a quem o servir
e nunca me esquecerei
foi uma menina que disse: “vai”
e por mim eu vou

outra reflexão

por Caê Jansen

Tem dias que não conseguimos nos encontrar dentro de nós mesmos, e perdidos caminhamos em direção ao desconhecido, às vezes sabemos que estamos trilhando rumo a um abismo mas insistimos e até apertamos o passo. Para domar as nossas inquietudes buscamos formas de escapar dessa realidade desoladora, sou de uma geração que desconta suas frustrações em drogas e momentos de felicidade induzidos a força, não cabemos dentro de nós mesmos, são tantos medos, tantas dúvidas, vivemos em constante estado de insegurança.

E assim enchemos a cara de álcool, nos entupimos de drogas, prescritas e ilícitas, buscamos anestesiar nosso eu. Nesse constante ímpeto de auto-sabotagem, vamos destruindo tudo em nossa volta, nossos relacionamentos ficam vazios, tentamos nos apegar a relações doentias e ao mesmo tempo temos dificuldade em viver novos relacionamentos, nos deixamos ser levados pelo medo de frustrações, não nos permitimos viver nossas histórias, desistimos de nossos sonhos, lutamos contra nossa natureza e nossos instintos. Sou de uma geração acovardada, vivemos constantemente com receio de viver e é isso que nos mata aos poucos em vida.

Acredito que devemos buscar nosso equilíbrio como indivíduos e sociedade, devemos nos dedicar ao que nos faz bem, procurar aqueles e aquelas que nos aceitam e querem estar verdadeiramente ao nosso lado. Devemos sempre procurar a companhia de quem quer ver nossa evolução, mas sem nunca nos esquecermos que cada um tem seu tempo, seu ritmo, só não podemos ficar parados. E acima de tudo devemos lutar. Lutar por nossa saúde, lutar por nossa alegria, lutar por nossa sanidade, lutar por uma vida harmoniosa, lutar por quem te faz feliz, amigos, família, amores e, principalmente, lutar por si.

Nunca desista de quem você é e saiba que existe muito mais do que nossos olhos podem desvendar. A superfície das pessoas é apenas uma máscara, aqueles que lhe parecem fortes, podem estar completamente fragilizados por dentro e vice-versa. Saiba ler as pessoas e respeitar seus momentos, não force ninguém a nada. Continue sempre a caminhar e confie nos seus instintos, movimente seu corpo, alimente seu intelecto, viva seus amores com intensidade e sinceridade, aprenda a confiar nas pessoas, aprenda a viver seus dias com a beleza de uma poesia e ame, ame muito e não tenha medo nem vergonha de amar, o amor é a única forma de salvarmos o mundo e a nós mesmos.